MT cria 66,8 mil novos postos de trabalho formal e lidera geração de emprego no país entre 2020 e 2021 | Mato Grosso

MT cria 66,8 mil novos postos de trabalho formal e lidera geração de emprego no país entre 2020 e 2021 | Mato Grosso
Compartilhe

Mato Grosso criou 66.817 novos postos de trabalho formal entre agosto de 2020 e agosto de 2021 e está liderando a geração de emprego no país, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nessa quinta-feira (29).

No período, foram registradas 316.218 contratações e 249.401demissões, uma variação positiva de 9,03%.

No último ano, as empresas do estado também realizaram 21.865 acordos trabalhistas.

  • Criação de empregos formais em agosto no Brasil

Em agosto deste ano, o estado teve um saldo positivo de 6.035 novas vagas de emprego. Se comparado com julho, quando o saldo foi de 11.153, houve uma queda de 45,8%.

No centro-oeste, Mato Grosso ficou na frente apenas de Mato Grosso do Sul, que teve saldo de 2.849. Na região, o melhor saldo foi registrado em Goiás (11.667) e Distrito Federal (9.139).

Esse foi o 7° melhor registro do estado no último ano. No ranking nacional do mês, o estado ocupa a posição 16°.

Saldo registrado por setor entre agosto de 2020 e agosto de 2021

Agro foi o único setor com saldo negativo

Fonte: Caged

A área de serviços foi a que teve o melhor saldo positivo entre agosto de 2020 e agosto de 2021. Foram 14.116 novas contratações e 10.990 demissões.

O setor da construção teve o segundo melhor saldo, com 4.529 contratações e 3.372 desligamentos.

As indústrias do estado contrataram 6.372 pessoas e demitiram 5.254, ficando também com saldo positivo.

Com 13.059 contratações e 12.195 demissões, o setor do comércio ficou com saldo positivo.

O agro foi o único setor com saldo negativo nesse último ano. Foram 3.086 contratações e 3.316 desligamentos.

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgados nesta quarta-feira (29), consideram apenas os trabalhadores com carteira assinada, ou seja, não inclui os informais.

Com isso, não são comparáveis com os números do desemprego, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), coletados por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (Pnad).

Os números do Caged são coletados das empresas e abarcam o setor privado com carteira assinada, enquanto que os dados da Pnad são obtidos por meio de pesquisa domiciliar, e abrangem também o setor informal da economia.

Os 10 estados do Brasil com a menor taxa de desempregados

Mato Grosso é o 3° estado com a menor taxa de desocupados do país

Fonte: PNAD/IBGE

Conforme os dados da Pnad divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no dia 31 de agosto, Mato Grosso é o terceiro estado com a menor taxa de desemprego do país. O percentual de desocupação no estado teve uma leve queda de 9,9% para 9%, entre o primeiro e o segundo trimestre deste ano, respectivamente.

Programa de manutenção do emprego

Segundo o Ministério da Economia, o comportamento do emprego formal, neste ano, ainda sofre influência do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda de 2020.

Isso porque os empregadores, para obterem os benefícios do programa, têm de manter o emprego do trabalhador por igual período de tempo da suspensão do contrato, ou redução da jornada.

Em abril, o governo federal relançou o programa, nos mesmos moldes da Medida Provisória 936, convertida na Lei 14.020/2020, que vigorou por 8 meses no ano passado e atingiu quase 10 milhões de trabalhadores.

O Noroeste
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *