Delegado afirma que ladrões de cooperativas no Nortão eram do Nordeste e se dividiram em 3 grupos; 9 morreram em tiroteio

Delegado afirma que ladrões de cooperativas no Nortão eram do Nordeste e se dividiram em 3 grupos; 9 morreram em tiroteio
Compartilhe

O delegado da Gerência de Combate ao Crime Organizado, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira afirmou, esta manhã, em entrevista coletiva, que os criminosos do Nordeste, vieram a Mato Grosso para assaltar as duas cooperativas de crédito, em Nova Bandeirantes (500 quilômetros de Sinop), em junho. Eles escolheram a cidade pela distância de Cuiabá e por ser uma região cercada por mata, onde poderiam se esconder facilmente. Os assaltantes teriam passado cerca de um mês estudando a região e fazendo contato com criminosos no Estado.

Teixeira detalhou ainda que foi necessário realizar uma reconstituição dos fatos fora do alcance do local do crime, sendo assim, a ação foi expandida por toda a região. “A quadrilha tinha uma ligação grande com Alta Floresta, que serviu como base do grupo criminoso. Então, utilizamos várias ferramentas legais para conseguir esclarecer o crime. Durante a investigação, ficou clara a divisão da quadrilha em 3 grupos”.

Ainda conforme o delegado, o primeiro grupo ficou responsável pela logística da quadrilha, alugando casas que serviram de base, veículos, traçou rota de fuga, rota entre acampamento e esconderijos. Já o segundo foi o grupo responsável pela prática do roubo, que esteve no local praticando o crime no dia 4 de junho nas duas agências bancárias. O terceiro e último foi responsável pelo resgate dos bandidos que passaram o período escondido no mato, a estratégia já tinha sido traçada.

No dia do crime, os bandidos saíram de Alta Floresta e, faltando 10 quilômetros para chegar na cidade, fizeram a divisão das tarefas, de armas e munições. Depois disso, já na entrada de Nova Bandeirantes, roubaram carros e os usaram para dificultar o acesso das forças de segurança.

O assalto foi realizado em duas cooperativas de forma simultânea. Na fuga, mais carros roubados foram usados pelo grupo, alguns chegaram a ser incendiados nas rotas de fuga. Mas, para o delegado, o objetivo principal era traçar a função de cada um dentro da organização.

A operação que contou com forças de segurança quase 60 dias na cidade resultou na morte de nove suspeitos em confronto e identificados outras 22 pessoas na autoria do roubo. Dessas, 13 pessoas foram indiciada e, hoje, mais nove foram presas de forma preventiva. Polícia ainda colocou tornozeleira em um investigado e cumpriu 3 mandados de busca e apreensão.

Todos os envolvidos já tinham passagens criminais e são reincidentes no crime. Entre os mandados, foram cumpridos prisões dentro da cadeia.

O delegado também confirmou que um dos mortos na ação e que seria empresário em Alta Floresta, tinha sim ligação com a quadrilha e foi morto em confronto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope). Vitor afirmou o empresário era um dos responsáveis em levar comida para o grupo nos esconderijos. Além disso, uma das caminhonetes usadas no dia do roubo foi encontrada em sua casa.

No balanço policial, foi informado que 75% do valor levado pelos bandidos foram recuperados mais de R$ 573,1 mil e, conforme Só Notícias já informou, em julho, policiais encerraram a caçada pelos assaltantes , com cinco presos e 9 mortos em confrontos.

Polícia – Só Notícias
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *