Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão
Compartilhe

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

A Volkswagen Saveiro 2012 seguiu o curso pós-lançamento com suas cinco versões, bem como duas carrocerias e seu único motor 1.6 Flex, sendo uma nova geração, completamente diferente da anterior.

Substituindo a plataforma AB9 pela mais moderna PQ24, devidamente modificada, a Saveiro teve uma mudança radical de geração, largando o velho conjunto de motor e câmbio em longitudinal por um conjunto em transversal.

Este era montado sobre um subchassi, algo inexistente no modelo antigo, que herdou sua concepção de um projeto nascido nos anos 70. Isso trazia para a picape leve da VW uma dirigibilidade superior ao antigo projeto.

Numa estrutura mais leve, rígida e segura, a Saveiro 2012 veio logo com duas carrocerias, sendo uma de cabine simples e outra de cabine estendida, sendo que a primeira tinha 924 litros na caçamba, enquanto a outra 734 litros.

Mesmo com capacidade de carga inferior ao da Fiat Strada, a Saveiro era conceitualmente mais avançada, sendo apenas comparável à antiga Chevrolet Montana, visto que a vigente na época era um projeto simplificado e mal-acabado.

Com design mais atraente, a Saveiro de terceira geração tinha ainda algumas soluções interessantes, como estepe sob a caçamba, não ocupando o compartimento de carga.

Além disso, tinha tampa com articulação pendular para suavizar o movimento, permitindo assim que qualquer pessoa a manuseie sem deixar a mesma bater de forma seca no fim do curso.

Com interior confortável e bem definido, a Saveiro 2012 trazia direção hidráulica, ar-condicionado, vidros elétricos, travas elétricas, retrovisores elétricos, sistema de áudio com CD player, Bluetooth, USB, faróis de neblina e milha, entre outros.

Tendo motor EA111 1.6 8V com 101 cavalos na gasolina e 104 cavalos de etanol, além de transmissão manual de cinco marchas com engates curtos, precisos, rápidos e macios.

Possuindo um bom isolamento acústico, superior ao da Strada, a Saveiro era praticamente um carro com caçamba, dada a suavidade ao rodar. O modelo ainda podia ter airbag duplo e freios com ABS.

Com o passar do tempo, a Saveiro se modernizou, ganhando cabine dupla, bem como facelift com direção elétrica, motor 1.6 16V com até 120 cavalos, piloto automático, controles de tração e estabilidade, e assistente de partida em rampa.

Também recebeu multimídia com projeção para Google Android Auto e Apple CarPlay, câmera de ré, capota marítima, entre outros. Itens que já faziam parte dela desde o início ou mesmo adicionados posteriormente.

A Saveiro 2012 tinha versões de acesso sem denominação comercial, com as duas opções de cabine, além da Tropper com rodas de aço texturizadas e acabamento esportivo, enquanto a Cross era aventureira e bem equipada.

Esta tinha até suspensão elevada, tornando-a bem diferente das demais e oferecida somente com cabine estendida. Tendo interior escurecido, realmente era completa, tendo até retrovisor interno eletrocrômico, por exemplo.

Nascida em 1983, a Saveiro surgiu do projeto BX, que criou o Gol em 1980 e o Voyage em 1982. Além disso, gerou também a perua Parati no mesmo ano, surgindo assim uma família de carros compactos que seria emblemática.

Inicialmente com motor boxer 1600 refrigerado a ar, a picape leve da VW logo indicou que seria melhor usar o motor refrigerado à água MD-270, mas passou para o AP-600, bem como o AP-800, respectivamente 1.6 e 1.8 litro.

Passando por duas atualizações de estilo, a VW Saveiro abandonou a antiga carroceria quadrada em 1996, quando surgiu a segunda geração, chamada AB9. Com portas do Gol 4 portas e caçamba maior, ela ainda mantinha parte da base antiga.

Mais larga, a picape dessa época tinha pedais e volante deslocados em relação ao assento, que moveu-se para fora no aumento de largura do carro. A VW não conseguiu mover direção e pedais, gerando um carro desconfortável.

O mesmo valia para Gol e Parati da G2 em diante. Essa geração mantinha a suspensão por eixo de torção atrás e nunca teve nada além da mesma cabine, enquanto a Fiat Strada evoluiu. A VW teve de esperar até o Gol G5 para fazer a mudança.

Agora, sabe-se que haverá uma nova geração, chamada Saveiro NF, tendo sido revelada em convenção de concessionários VW na Argentina. O provável é que ela use a MQB-A0 de Polo, Virtus e Nivus, igualmente feitos no ABC.

Ela não deve crescer, podendo no máximo chegar a 4,55 m ou até menos, ganhando arquitetura ainda mais leve, rígida e segura, possibilitando ter 5 estrelas no Latin NCAP. Além disso, a cabine dupla deve ganhar quatro portas.

Já o motor se espera pelo 1.0 TSI de até 128 cavalos na versão Cross e 1.6 16V com até 120 cavalos nas demais opções. A VW deve adicionar ainda transmissão automática Tiptronic de seis marchas.

Visualmente se espera uma picape com faróis full LED, linha de cintura alta e formas volumosas, mas limitando-se a 1,751 m de largura padrão dos MQB-A0, mas pode ser que vá até 1,795 m, usado no Skoda Scala.

Saveiro 2012 – detalhes

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

A Saveiro 2012 tinha um visual bem moderno naquela época, sendo a mais avançada das picapes leves no mercado brasileiro. O modelo feito em São Bernardo do Campo tinha linhas fluidas e aerodinâmicas.

Com frente baixa e arredondada, a Saveiro tinha capô envolvente, empregando grade de friso simples, que era integrada ao para-choque. Este tinha uma abertura inferior contínua, que permitia refrigeração e também faróis de neblina.

Os faróis eram duplos e tinham visual fluido, empregando ainda lanternas e piscas integrados. Na cabine simples, a Saveiro 2012 tinha um rack simples no teto, bem como portas grandes, que seriam usadas mais tarde no Gol.

Maçanetas e retrovisores podiam ter pintura do carro, enquanto a caçamba empregava degraus para facilitar o acesso lateral à caçamba. As saias de rodas tinham molduras protetoras, mas sutis.

Já as rodas eram de aço com calotas e aro 14 polegadas, usando pneus 175/70 R14. Havia opção de rodas de liga leve para as versões de acesso da Saveiro 2012. Na traseira, as lanternas eram verticais e compactas.

A tampa da caçamba era lisa e integrada ao para-choque, tendo um sistema pendular para reduzir o peso durante a abertura ou fechamento do acesso ao compartimento de carga. Este, na cabine simples, tinha 924 litros.

O estepe ficava sob o assoalho e havia opção de capota marítima. A vigia traseira empregava grade protetora também. Havia ainda antena no teto e ganchos para fixação de carga, enquanto o compartimento era revestido em plástico protetor.

Na cabine estendida, existia ainda vigias laterais e colunas C verticais, mais espessas. Com comprimento maior, essa variante tinha uma caçamba menor, com 734 litros. A Saveiro 2012 na versão Cross, tinha rack no teto.

Este item era integrado ao santantônio, que se estendia pelas bordas da caçamba. Essa versão tinha ainda grade preta e para-choque dianteiro exclusivo, com molduras pretas e aplique cinza com nome Saveiro Cross em baixo relevo.

A grade inferior era maior, sendo retangular. Abaixo dela, havia um protetor central cinza, enquanto nas laterais, tinham lentes unificadas com faróis de neblina e de milha.

As saias de rodas eram maiores e havia protetores estilizados nas portas. Os retrovisores possuíam repetidores de direção. Na traseira, havia o nome Saveiro Cross em preto. As rodas eram de liga leve aro 15 polegadas com pneus 205/60 R15.

Por dentro, a Saveiro 2012 tinha um painel integrado, baseado no Gol e usando elementos de baixo custo, como os difusores de ar com fechos inteiriços. O cluster analógico tinha velocímetro e contagiros de fundo preto.

Os menores eram de combustível e temperartura da água, tendo ainda um display com hodômetros e computador de bordo. No console central, em cinza, havia comandos manuais do ar-condicionado.

O sistema de som vinha com CD, Bluetooth e USB, sendo do tipo 1din com display digital em vermelho, mesma tonalidade dos ponteiros da instrumentação. Na Saveiro 2012, podia-se ter o volante do Passat, com aplique em aço escovado.

Ele era multifuncional e tinha ainda comandos de mídia, telefonia e computador de bordo, pois, o piloto automático era na haste dos faróis. Com porta-copos, o túnel tinha alavanca em couro decorada na versão Cross.

Os bancos eram personalizados nas versões Trooper e Saveiro Cross. Havia efeito memória no banco do passageiro, espaço traseiro forrado e teto escurecido. Retrovisor eletrocrômico ou dia e noite estavam presentes, assim como alças.

Havia ainda luzes de leitura e espelhos nos para-sóis com iluminação. Os bancos em tecido podiam ter acabamento em tecido ou couro. Nas versões simples, o volante era de três raios, mas sem acabamento melhor.

O vidro traseiro era basculante e havia alto-falantes traseiros. A Saveiro 2012 na versão Trooper, tinha rodas texturizadas e escurecidas com aro 15 polegadas e pneus 205/60 R15.

Saveiro 2012 – versões

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

  • Volkswagen Saveiro CS 1.6 MT
  • Volkswagen Saveiro CS Trooper 1.6 MT
  • Volkswagen Saveiro CE 1.6 MT
  • Volkswagen Saveiro CE Trooper 1.6 MT
  • Volkswagen Saveiro CE Cross 1.6 MT

Equipamentos

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

Volkswagen Saveiro CS 1.6 MT – Motor 1.6 e câmbio manual, ar-condicionado, direção hidráulica, coluna de direção ajustável em altura, vidros elétricos, travas elétricas, retrovisores com ajustes internos manuais, rodas de aço aro 14 polegadas com calotas, caçamba com proteção interna, retrovisores e maçanetas na cor do carro, sistema de som com CD player, quatro alto-falantes, antena, rack no teto, grade protetora do vidro traseiro, vidros verdes, para-brisa degradê, entre outros.

Volkswagen Saveiro CE 1.6 MT – Itens acima, mais cabine estendida e espaço interno adicional.

Volkswagen Saveiro CS Trooper 1.6 MT – Itens acima, mais bancos personalizados, retrovisores elétricos, vidro traseiro basculante, capota marítima, rodas texturizadas de aço e escurecidas com aro 15 polegadas, pneus 205/60 R15, faixas decorativas, faróis de neblina, retrovisores e maçanetas em preto brilhante, rack maior no teto, volante multifuncional (meia-lua), sistema de som com Bluetooth e USB, entre outros.

Volkswagen Saveiro CE Trooper 1.6 MT – Itens acima, mais cabine estendida e espaço interno adicional.

Volkswagen Saveiro CE Cross 1.6 MT – Itens acima, mais para-choque exclusivo, faróis de milha, grade preta, aplique em cinza na frente, bumper frontal, suspensão elevada, rodas de liga leve aro 15 polegadas exclusivas, rack integrado ao santantônio, volante em couro com aplique metálico, piloto automático, bancos em couro e tecido, retrovisor eletrocrômico, luzes de leitura, para-sóis com espelhos iluminados, painel personalizado, entre outros.

Preços

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

  • Volkswagen Saveiro CS 1.6 MT – R$ 26.021
  • Volkswagen Saveiro CS Trooper 1.6 MT – R$ 29.160
  • Volkswagen Saveiro CE 1.6 MT – R$ 30.065
  • Volkswagen Saveiro CE Trooper 1.6 MT – R$ 31.846
  • Volkswagen Saveiro CE Cross 1.6 MT – R$ 34.676

*Preços Tabela Fipe – Fevereiro de 2021

Saveiro 2012 – motor

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

A Saveiro 2012 empregava o motor EA111 1.6 8V Flex, que fora um desenvolvimento da antiga família de propulsores da Volkswagen. Apesar de ter chegado ao Brasil em 1997, essa linha menor da VW é muito mais antiga que se pensa.

O projeto do EA111 surgiu em 1972 e foi feito pela Audi, sendo uma variante de menor tamanho do EA113, que diferia do EA827, montado em longitudinal. Basicamente o EA111 tinha cabeçote de alumínio com fluxo cruzado.

Isso permitia que, ao ser colocado em transversal, pudesse dispor de coletor de admissão frontal e coletor de escape traseiro, mantendo a inclinação padrão da VW de 15 graus.

Mantinha assim o bloco de ferro fundido e, por ser menor que o EA113, tinha volumes que começavam em 0.8 litro, mas chegou mesmo até 1.8 litro, uma versão rara até na Europa.

O EA113 era maior e só equipava os carros de motor transversal, como o Golf, Caddy, Jetta, por exemplo. A disposição do cabeçote era a mesma, mas os volumes iam de 1.6 até 2.0 litros.

Já o EA827 tinha cabeçote de fluxo lateral, com admissão e escape do mesmo lado, visto ser montado em longitudinal e isso obrigaria ao aumento da altura do capô. Foi o propulsor empregado no Brasil em duas variantes: MD-270 e AP.

Esse último não era adequado para o Golf nacional por ser grande e a VW precisava eliminar o CHT dois anos antes, visto que a Autolatina findara. Assim, o EA111 veio para ser feito em São Carlos-SP, numa nova fábrica da Volkswagen.

Com 1.0 e 1.6 litro, inicialmente, o propulsor adotou de cara injeção multiponto e arquitetura leve, embora a VW mantivesse os dois “grandes” em uso no Brasil, com o EA113 2.0 no Golf e Audi A3 (1.8 20V), além do EA827 nos AB9.

Por aqui, a VW investiu pesado no pequeno, com o 1.0 8V ganhando versão 16V, assim como uma variante deste com turbocompressor, tendo 112 cavalos e 15,8 kgfm. Quando os Golf e A3 chegaram, o EA111 1.6 surgiu.

Este propulsor tinha 101 cavalos e 14,3 kgfm com gasolina. Em 2003, a Volkswagen deu um salto que mudaria o mercado brasileiro definitivamente, o Total Flex. Assim, o 1.6 8V passou a ter a mesma potência na gasolina, porém, um extra.

Com etanol, chegava a 103 cavalos e 14,5 kgfm. Isso não durou muito, pois, com a G5 do Gol, a VW iniciou os trabalhos de modernização do EA111, que agora virando VHT e alcançando 104 cavalos no álcool e a 5.250 rpm.

Contudo, o torque saltou para 15,4 kgfm na gasolina e 15,6 kgfm no etanol, mas obtidos em apenas 2.500 rpm, um feito impressionante. Aspirado, apenas o EA113 2.0 8V mexicano, antes de virar flex, tinha 17,3 kgfm a somente 2.250 rpm!

Torcudo, o EA111 se mantém do mesmo jeito até hoje, tendo sido usado na Saveiro 2012 da época. Na mesma época, porém, estava perto de sair o 1.4 8V Flex da Kombi, que fora criado para a Fox de exportação (Lupo).

Cabe salientar que essa família teve ainda blocos de três cilindros 1.2 litro, tanto a gasolina quanto a diesel na Europa. Em 2000, a Volkswagen lançou o EA211, uma evolução deste último.

Nesse caso, o bloco passou a ser de alumínio e as variantes de três cilindros ganharam importância, gerando o 1.0 MPI/TSI. O 1.4 TSI é outra vertente do mesmo, assim como o 1.6 MSI. Ele vai até o 1.5 TSI, que também tem 4 cilindros.

Na Saveiro 2012, o EA111 foi usado com a caixa de mudança de MQ200 de cinco marchas e embreagem de acionamento hidráulico. Mais adiante, a picape usaria o EA211 1.6 MSI com 110 cavalos na gasolina e 120 cavalos no etanol.

Espera-se que a nova geração da Saveiro use o 1.0 TSI com 116 cavalos na gasolina e 128 cavalos no etanol, além de câmbio automático de seis marchas.

Desempenho

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

  • Volkswagen Saveiro CS 1.6 MT – 10,5 segundos e 176 km/h
  • Volkswagen Saveiro CE 1.6 MT – 10,5 segundos e 176 km/h

Consumo

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

  • Volkswagen Saveiro CS 1.6 MT – 7,3/8,5 km/l e 10,7/12,3 km/l
  • Volkswagen Saveiro CE 1.6 MT – 7,3/8,5 km/l e 10,7/12,3 km/l

Saveiro 2012 – manutenção e revisão

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

A Volkswagen tem plano de manutenção para a Saveiro 2012 com revisões a cada 10.000 km ou 12 meses, mas na época, eram somente seis meses previstos para cada revisão por tempo.

Nas revendas VW, o serviço inclui troca de óleo, filtro de óleo, filtro de combustível, filtro de ar do motor, filtro de ar da cabine, fluído de freio, líquido refrigerante, velas, correia em V, correia dentada, entre outros.

Peças de reposição por desgaste natural como pastilhas de freio, lonas de freio, discos de freios, batentes das torres, molas helicoidais, amortecedores, pivôs de direção, buchas de balança, coxins de motor e câmbio, rolamentos, entre outros.

Também são feitos serviços de funilaria, pintura, cambagem, alinhamento, balanceamento, troca de pneus, rodízio de pneus, inspeção de motor, parte elétrica, hidráulica, suspensão e sistemas de segurança.

São feitas ainda correções de recall com agendamento prévio, bem como outros serviços relacionados com manutenção e instalação de acessórios e equipamentos específicos.

Saveiro 2012 – ficha técnica

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão

Motor 1.6
Tipo
Número de cilindros 4 em linha
Cilindrada em cm3 1598
Válvulas 8
Taxa de compressão 12,1:1
Injeção eletrônica Indireta
Potência máxima 101/104 cv a 5.250 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo 15,4/15,6 kgfm a 2.500 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
Tipo Manual de 5 marchas
Tração
Tipo Dianteira
Direção
Tipo Hidráulica
Freios
Tipo Discos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
Dianteira McPherson
Traseira Eixo de torção
Rodas e Pneus
Rodas Aço ou liga leve aro 14 ou 15 polegadas
Pneus 175/70 R14 ou 205/60 R15
Dimensões
Comprimento (mm) 4.493 (CS) 4.526 (CE)
Largura (mm) 1.708 (CS) 1729 (CE)
Altura (mm) 1.497 (CS) 1.509 (CE)
Entre eixos (mm) 2.750
Capacidades
Porta-malas (L) 924 (CS) 734 (CE)
Tanque de combustível (L) 55
Carga (Kg) 715 (CS) 615 (CE)
Peso em ordem de marcha (Kg)  1.020 (CS) 1.120 (CE)
Coeficiente aerodinâmico (cx) 0,378 (CS) 0,349 (CE)

Saveiro 2012 – fotos

Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão
Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão
Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão
Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão
https://www.youtube.com/watch?v=jg9akCvFNCI

© Noticias Automotivas. A notícia Saveiro 2012: fotos, detalhes, versões, motor, consumo, revisão é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.

Notícias Automotivas
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *