Preço da gasolina chega a R$ 5,49 o litro em São Paulo – 23/02/2021 – Grana

Preço da gasolina chega a R$ 5,49 o litro em São Paulo – 23/02/2021 – Grana
Compartilhe

O preço médio da gasolina nos postos do estado de São Paulo ultrapassou os R$ 4,62 por litro na última semana, no estado de São Paulo, após o reajuste dos combustíveis realizado na sexta-feira (19). Em alguns postos, o valor chegou a chegou a R$ 5,49, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira (23) pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis).

Para José Alberto Gouveia, presidente do Sincopetro (sindicato de revendedores de combustíveis), ainda não houve o repasse total do reajuste e muitos postos estão com preços promocionais. “O reajuste é alto, os postos têm que repassar. Até semana que vem os postos já estarão repassando totalmente”, diz.

Desde janeiro, o valor da gasolina vendida pela Petrobras acumula alta de 34,7%. O diesel subiu 27,7% no mesmo período. Na última sexta-feira, a gasolina e o diesel tiveram reajuste de 10,2% e 15,1%, respectivamente, feito pela Petrobras. Foi o quarto reajuste da gasolina e o terceiro do diesel nos dois primeiros meses de 2021.

De acordo com o levantamento da ANP, em São Paulo, o preço médio do diesel comum, entre os dias 14 de fevereiro e 20 de fevereiro, foi de R$ 3,82. O Acre registrou a maior alta, com o combustível chegando a R$ 5,06.

O preço médio do botijão de gás de 13 kg em São Paulo também está em alta e ficou em R$ 79,70, mas pode chegar a R$ 93 em alguns locais, segundo a pesquisa da ANP com 485 revendedores.

O litro do etanol atingiu os R$ 3,99 no estado, com média de preço de R$ 3,22 na mesma semana.

Decreto

Nesta terça, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou um decreto que obriga postos de gasolina a informar a composição do valor cobrado por combustíveis na bomba.

Segundo o decreto, os postos deverão fixar um painel, em local visível, com os valores estimados do ICMS e de tributos federais que incidem sobre combustíveis. O informativo deverá conter o preço de referência para o ICMS e o valor da PIS/COFINS, além do da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico).

“Isso dará noção sobre o real motivo na variação de preços. O decreto também obriga os postos a dispor informações sobre os descontos vinculados ao uso de aplicativos de fidelização”, diz a Secretaria-Geral da presidência.

Gouveia diz que não será uma lei que vai regularizar o setor, mas fiscalização.

Source link

O Noroeste
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *