Menino de 10 anos com lucros de 5000% após guerra bolsista na GameStop

Menino de 10 anos com lucros de 5000% após guerra bolsista na GameStop
Compartilhe

A GameStop tornou-se, na semana passada, no epicentro de uma batalha entre pequenos investidores e grandes fundos de investimento. Pode-se dizer que houve vencedores e vencidos, desta vez, pelo menos um menino de 10 anos foi alvo de ‘danos colaterais’ positivos.

Jaydyn Carr, natural de San Antonio, no estado do Texas, está – literalmente – a milhas de Wall Street e dos mercados financeiros. Em dezembro de 2019, quando tinha 8 anos e estava com a mãe numa das lojas de distribuição de vídeo GameStop, porque queria uma Xbox One, a progenitora decidiu aproveitar o gosto de Jaydyn por videogames para lhe ensinar as primeiras coisas sobre investimento. Foi assim que lhe comprou 10 ações da GameStop, a 6,19 dólares (5,10 euros) o título, que lhe deu como presente.

A mãe, Nina Carr, até procurou na internet um ‘template’ de um certificado para preencher com os dados de Jaydyn, colocando, assim, no papel a sua titularidade de uma pequena parte da empresa que tanto gostava.

Notícias ao MinutoJaydyn com o seu presente, há dois anos© Reprodução

Ainda que se tenha tentado manter ao corrente do progresso das ações que o filho detinha, foi na semana passada que reparou numa subida anormal. Na quarta-feira passada, para seu choque, o valor de cada ação tinha disparado.

Tudo porque milhões de pequenos investidores decidiram comprar, de repente, ações da empresa, levando o seu preço a subir, com o objetivo de atacar, pelo menos, dois fundos de investimento especulativo que estavam apostando os seus milhões na baixa da cotação (e na falência da empresa) fazendo vendas a descoberto em grande escala.

“Agarrei o meu telefone, estava olhando e dizia 351 dólares/ação (289 euros). Fiquei chocada, comprei isto a 6 dólares a ação. Pensei que não devia estar certo”, disse Nina Carr, em entrevista aos meios locais.

A nutricionista de profissão perguntou ao filho o que queria fazer. “Tentei explicar que isto não era normal. E perguntei: ‘Quer continuar ou quer vender?’”.

Jaydyn escolheu vender as ações, conseguindo um valor final de 3,200 dólares (2,636 euros), mais de 5000% acima do investimento inicial, que fora de cerca de 60 dólares (49 euros).

Cada título da GameStop veio a valorizar, na quinta-feira passada, mais de 400 dólares, estando, neste momento, na casa dos 300 dólares, prevendo-se, eventualmente, a sua gradual descida – dado que a atividade da empresa não reflete esta valorização (a pandemia e a possibilidade de comprar jogos online afetaram bastante a venda de videogames).

O pai de Jaydyn Carr, um médico do exército, morreu em 2014, por causa de ferimentos sofridos em serviço. Nina assumiu, desde então, a responsabilidade de incutir ao filho literacia financeira: como poupar, como usar o cartão de débito, como reconhecer uma compra por impulso e, também, o volátil jogo do mercado de ações.

“Ele é tudo o que tenho, é o meu legado. Gostava que mais pais o fizessem. Penso que ensinar aos nossos filhos responsabilidade financeira interromperia, com certeza, o ciclo de dívida”.

Recebida a sua pequena fortuna repentina, Jaydyn decidiu poupar 2,200 dólares (1,812 euros) e investir os restantes mil (823 euros) em ações, possivelmente da Roblox, um universo multijogador cada vez mais popular, quando a empresa se tornar pública.

Notícias ao Minuto Brasil – Mundo
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *