‘Saga GameStop’ deixa WSJ para trás e se desdobra online – 28/01/2021 – Nelson de Sá

‘Saga GameStop’ deixa WSJ para trás e se desdobra online – 28/01/2021 – Nelson de Sá
Compartilhe

O Wall Street Journal pareceu aliviado, ao manchetar no início da noite que as “Ações da GameStop caem após corretoras online restringirem negociações”.

É a rede de lojas de videogame que disparou na bolsa, a partir de um fórum de investidores ativistas na plataforma Reddit, dando início a um movimento global.

Fora do jornal de Wall Street, noutros sites financeiros, mas sobretudo no Twitter, o noticiário já era outro.

Congressistas como o democrata Ro Khanna questionaram o poder das corretoras para vetar operações dos clientes —que em parte visavam, com elas, punir ações especulativas de fundos com empresas em dificuldades.

No caso emblemático da corretora online Robinhood, metade dos clientes teriam aplicado na GameStop.

Alexandria Ocasio-Cortez, tuitando que “isso é inaceitável”, propôs audiência para cobrar as corretoras na comissão de finanças da Câmara, da qual faz parte. Elon Musk, dono da Tesla, apoiou, também via Twitter, “Absolutamente”.

Em seguida, AOC ancorou uma “live” explicativa no Twitch (acima) sobre o caso, que procurou relacionar ao Occupy Wall Street. A essa altura, o Robinhood já tentava voltar atrás.

E o Business Insider destacava como a “saga GameStop” poderá “derrubar práticas de longa data em Wall Street”.

‘ANONYMOUS’, DE NOVO

Os sites Politico e Atlantic Council publicaram ensaio assinado por “Anônimo”, supostamente “ex-alto funcionário do governo” americano, propondo “um ‘reboot’ completo da estratégia” em relação a Pequim.

Em suma, defende como prioridade “substituir Xi Jinping, alavancando divisões no PC chinês”, e admite que os EUA trabalhem com o partido como no passado, desde que sob outras lideranças.

PEQUIM AGUARDA

Na manchete do financeiro Caixin, de Pequim, “Biden reverte legado do Trump, mas empresas chinesas continuam excluídas”. Diz que “sanções seguem firmes, enquanto novo governo decide como ‘reequilibrar’ a relação”.

MAIS GUERRA DA VACINA

O Frankfurter Allgemeine Zeitung reportou reunião da AstraZeneca com a União Europeia, em que o presidente da farmacêutica britânica buscou “desarmar o confronto” —após entrevista agressiva que havia dado ao italiano La Repubblica.

Disse que a redução nas vacinas à UE será menor do que havia ameaçado e prometeu liberar, nesta sexta (29), o conteúdo dos contratos com o Reino Unido, que estão sob suspeita de favorecimento.

OUTRA CORRIDA

Os mapas e tabelas de casos de Covid da Universidade Johns Hopkins começam a ser trocados no noticiário, inclusive no Brasil, pelos gráficos e tabelas de vacinação da Universidade de Oxford (imagem acima), atualizados também diariamente.

A nova corrida, na quinta (28), era encabeçada por Estados Unidos e China, ambos muito à frente, com o México como primeiro latino-americano, em 11º.


LINK PRESENTE: Gostou desta coluna? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Source link

O Noroeste
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *