Obra do novo Fórum de Várzea Grande (MT) deve ser inaugurada em setembro | Mato Grosso

Obra do novo Fórum de Várzea Grande (MT) deve ser inaugurada em setembro | Mato Grosso
Compartilhe

O novo Fórum de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, deve ficar pronto em setembro deste ano. A obra avaliada em R$ 54 milhões fica no bairro Chapéu do Sol. Tem 24 mil metros quadrados de estrutura para 21 varas e quatro juizados, com subsolo, térreo, primeiro e segundo pavimentos, e 310 vagas de garagem.

2 de 4
Prédio tem 24 mil metros quadrados — Foto: TJMT

Prédio tem 24 mil metros quadrados — Foto: TJMT

O novo prédio vai ter elevadores e rampas para facilitar o acesso de pessoas com necessidades especiais, conforme as regras do Conselho Nacional de Justiça. O prédio também terá salas para os menores infratores e 10 celas separadas para os presos.

As melhorias estão sendo feitas porque o espaço atual está pequeno para acomodar os equipamentos, servidores e o fluxo de cerca de 1 mil pessoas por dia que era comum antes da pandemia.

3 de 4
Obra deve ser concluída em 2021 — Foto: TJMT

Obra deve ser concluída em 2021 — Foto: TJMT

No Fórum são 21 varas e os processos não param de chegar. Segundo a assessoria de imprensa, tramitam 100 mil processos. Falta espaço para guardar tanto papel e, por isso, a direção alugou um depósito para armazenar a papelada que se acumulam em todo lugar.

A gestora judiciária Maeve Silva conta como é trabalhar na unidade com pouco espaço.

“Sobram processos e faltam espaços. Com a melhora da infraestrutura, a qualidade de trabalho do servidor aumenta. Se ele ficar em um espaço melhor, vai trabalhar de forma mais produtiva”, afirma.

A advogada Ludymila Guimarães relata que as vezes é preciso dividido o mesmo espaço.

“Muitas vezes o juiz precisa ceder a sala de justiça para que ocorra as audiências então acaba não tendo sala suficiente para atendimento, para audiência. Acredito que o novo fórum vai suprir essa necessidade de ter mais salas para que as pessoas possam participar das audiências que são prejudicadas pela falta de espaço”, afirma.

4 de 4
Construção começou há três anos — Foto: TJMT

Construção começou há três anos — Foto: TJMT

Antes das audiências, vítimas, réus e advogados dividiam o mesmo espaço. Já os presos, ficam em celas ao lado do estacionamento dos juízes. Quando saem da audiência, passam pelo corredor onde todos tem acesso.

O diretor do Fórum Luiz Otávio Pereira relata que não há segurança para os funcionários e pessoas que vão na unidade.

“O trajeto do preso da carceragem até a sala de audiência do juiz criminal acaba por gerar uma insegurança aos que trabalham no Fórum, aos que estão transitando e o cidadão que está aguardando um atendimento da justiça”, afirma.

Segundo ele, serão unificadas as varas e os juizados especiais da Comarca de Várzea Grande. “O cidadão que necessita do serviço da justiça poderá ir a um só local para resolver o seu conflito”, explica o diretor.

O Noroeste
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *