Defensoria pede manutenção da gratuidade no transporte para pessoas acima de 60 anos em SP

Defensoria pede manutenção da gratuidade no transporte para pessoas acima de 60 anos em SP
Compartilhe

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Defensoria Pública de São Paulo ingressou nesta terça-feira (26) com uma ação judicial contra a prefeitura e o governo de São Paulo em que pede a manutenção do direito à gratuidade para passageiros com idade entre 60 a 64 anos no transporte público municipal e metropolitano. A isenção na tarifa para essa faixa etária será cancelada a partir de 1º de fevereiro.

A gratuidade na tarifa de ônibus para pessoas a partir de 60 anos na cidade de São Paulo estava prevista em leis estadual e municipal, mas que foram revogadas em dezembro. O fim do benefício foi uma ação conjunta entre o governo, gestão João Doria, e a prefeitura, gestão Bruno Covas, ambos do PSDB.

Na ação, a Defensoria pede que os bilhetes únicos especiais já expedidos e ainda válidos para os idosos que já tinham atingido a idade para obtenção do direito não sejam bloqueados. A ação inclui o metrô, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), que opera linhas intermunicipais na Grande São Paulo, e a SPTrans, responsável pelos itinerários municipais em São Paulo.

Segundo a Defensoria, o fim da gratuidade para aqueles que já tinham adquirido o direito antes da alteração da legislação e o bloqueio dos bilhetes únicos válidos violam o princípio da segurança jurídica, com redução ou supressão de situações já implementadas.

A Prefeitura de São Paulo informou, em nota, que ainda não foi intimada e irá se manifestar em juízo oportunamente, no prazo previsto em lei. A administração diz ter mantido a gratuidade da tarifa para quase 1,7 milhão de pessoas a partir de 65 anos. A gestão Bruno Covas destacou também que aplicou, em 2019, período anterior à pandemia, R$ 1,8 bilhão para manter todos os benefícios concedidos às gratuidades no transporte público da capital.

A PGE-SP (Procuradoria Geral do Estado de São Paulo) disse que ainda não foi intimada, mas tão logo isso ocorra analisará o conteúdo “para a adoção de medidas cabíveis”. A instituição lembrou que o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) cassou no dia 12 de janeiro a liminar que suspendia a cobrança de tarifas nos transportes públicos para os idosos com idades entre 60 e 64 anos.

Segundo a PGE-SP, a decisão do TJ-SP afastou da administração pública seu legítimo juízo discricionário de conveniência e oportunidade de organização dos serviços públicos, o que inclui o transporte. “A extensão judicial da gratuidade tarifária a um conjunto tão amplo de pessoas pode afetar o equilíbrio econômico-financeiro do contrato, o que gerará despesas sem previsão orçamentária”.

Notícias ao Minuto Brasil – Brasil
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *