Quatro pessoas morreram vítimas de choques elétricos em janeiro em MT | Mato Grosso

Quatro pessoas morreram vítimas de choques elétricos em janeiro em MT | Mato Grosso
Compartilhe

Quatro pessoas morreram vítimas de choques elétricos somente nos 20 primeiros dias de janeiro, em Mato Grosso. No ano passado, foram nove mortes em acidentes registrados pela Companhia Fornecedora de Energia do estado (Energisa). Segundo a Energisa, a maioria dos casos acontecem no setor agrícola e na construção civil.

Jucelino Soares tinha 48 anos e foi vítima de uma descarga de alta tensão quando trabalhava no telhado de uma casa, em Várzea Grande. Em Lucas do Rio Verde, pai, filho e um amigo estavam abrindo um poço quando o equipamento que usavam encostou no fio de alta tensão e os três morreram na hora.

Segundo a Energisa, no ano passado, em todo o estado, foram registrados 15 acidentes envolvendo eletricidade e nove pessoas morreram. O coordenador de saúde e segurança do trabalho, Victor Hugo de Amorim, contou que, na maioria dos acidentes, a pessoa acaba encostando no fio da rede e recebe a descarga elétrica.

“A maioria dos acidentes foram de caminhões, caçamba e maquinário agrícola que tiveram contato com a rede elétrica. A segunda causa foram de acidentes em obras civis. O empregado que foi fazer alguma manutenção, algum serviço de pintura e não se atenta para a distância da rede e acaba encostando em uma barra de ferro, o rolo de pintura na rede e com isso recebe a descarga elétrica”, contou.

No campo, os acidentes com energia elétrica também são comuns. Os maquinários das produções podem encostar nos fios gerando uma descarga elétrica.

“Como Mato Grosso é um estado com muita área de produção agrícola, os maquinários de pulverizar veneno nas lavouras são muito extensos e por descuido podem acabar tocando na rede elétrica, gerando um acidente”, explicou.

Para evitar esse tipo de acidente, é preciso tomar alguns cuidados. A primeira orientação é não mexer na rede de distribuição de energia. De acordo com o coordenador, é mais seguro os profissionais que estão a serviço da empresa realizarem o trabalho por possuírem equipamentos adequados.

“Só quem pode atuar nas redes de distribuição de energia elétrica são os profissionais da Energisa ou os profissionais que estão a serviço da empresa porque eles vão ter o conhecimento e os equipamentos de segurança específicos para fazer aquele tipo de trabalho sem se expor ao risco”, disse.

Para lidar com energia é obrigatório usar equipamentos de proteção individual (EPI) que garantem a segurança do trabalho e procure sempre os serviços de um profissional.

O engenheiro eletricista Lauro Rosa explica que o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) fiscaliza os profissionais se estão habilitadados para o exercício da profissão.

“O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) dispõe de fiscalização em todo o estado de Mato Grosso para o exercício das profissões de engenharia, agronomia e dentre elas a engenharia elétrica. Um engenheiro eletricista é o profissional habilitado para tratar das questões de projetos, execuções, supervisão, laudos técnicos para dar mais segurança à sociedade”, afirmou.

O Noroeste
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *